Iberanime Lisboa [Eventos]

 

Beautiful and crazy world…hello again.
Maio chegou e trouxe com ele mais uma edição do Iberanime  que decorreu nos dias 6 e 7 de Maio no MEO Arena em Liboa.

Cartaz-Iberanime
Para quem ainda não sabe, o Iberanime é um evento dedicado à cultura Pop Japonesa tal como Animes, manga, cosplay e podem ler mais sobre ele no meu post do ano passado aqui.
Eu, como é óbvio, não podia falta à edição deste ano e hoje trago-vos um pequeno resumo da edição deste ano.
Este ano, ao contrário do ano passado, cheguei  bastante cedo. Isto é essencial para não apanhar grandes filas e para conseguir ver e aproveitar o máximo possível do evento. Consegui entrar no pavilhão assim que as portas abriram. (Só não foi mais rápido porque o senhor policia revistou bem a minha mala cheia de tralha antes de entrar).
Tal como no ano passado, o primeiro andar do Meo Arena estava preenchido por bancas de artistas nacionais a vender os seus diversos produtos artesanais. É também a área dedicada ao espaço cultural e mais tradicional do Japão e onde podemos ver diversas demonstrações tais como caligrafia, artes marciais, danças tradicionais…

Mais uma vez falhei as demonstrações pois é sempre tanta coisa a acontecer ao mesmo tempo que fica complicado assistir a tudo.

Lá em baixo na arena há mais tantas outras coisas a ver, outras tantas apresentações e palestras e o para para dance que é sempre a parte mais animada. Eu adoro o para para dance. Não vou para lá dançar que já não tenho idade para isso mas adooro. Eu faço em casa quando ninguém está a ver.

E como se as bancas dos artistas na parte de cima não fossem suficientes para fazer gastar dinheiro, na arena há uma “carrada” de lojas cada uma com coisas mais giras que as outras. Figuras de anime, T-shirts, peluches, mangás, Pop´s, doces, snacks e bebidas japonesas…pois é… o pobre tem a vida complicada lá. LOL

Este ano, em comparação ao ano passado, a organização do espaço estava muito boa. Em 2016 chegou a ser sufocante lá andar mas este ano estava muito bom, com corredores mais largos, as loja mais bem distribuídas. Verdade seja dita também havia menos lojas, mas também não creio que fosse necessário mais coisas. Estava mesmo muito bom este ano.
E enquanto no ano passado havia a zona Gaming dedicada a videojogos, este ano a organização decidiu criar dois eventos distintos dentro do mesmo espaço. De um lado Iberanime, do outro 4Gamers. Eu comprei o bilhete simples, só para o Iberanime. Na verdade não fazia ideia que o 4Gamers era no mesmo espaço, não investiguei antes de comprar o bilhete. Mas podia ter feito um upgrade e ir visitar o espaço mas não fiz e foi algo de que me arrependi mais tarde. E esta divisão ajudou bastante a não ter um recinto estupidamente cheio.
Mas óbvio que tinha de haver um senão. Ahhh….e que senão. LOL No ano passado nós entrávamos pelas portas que davam para as bancadas e descíamos por umas escadas metálicas até ao recinto, este ano tínhamos de percorrer um corredor enoooorme que à primeira vista parecia que não ia dar a lado nenhum excepto aos lavabos. Mas ia, bastava descer, descer, descer escadas e lá estávamos nós. E depois tínhamos de subir, subir, subir. Descer, descer, descer… o santo dia todo. Outro ponto negativo… não havia onde sentar. E vocês pensam “bolas ela só se queixa de andar e queria estar sentada”. Pois sim, eu não vou para nova, levei quase uma semana a recuperar as forças.
Eu estou a brincar mas isto é verdade, praticamente não havia zonas de repouso. Consegui ir sentar-me nas bancadas para almoçar enquanto estava a decorrer o concorso de AMV (anime music video) e depois mandaram-nos embora porque iam fechar a sala. Aliás mandaram-nos embora várias vezes. “Vamos preparar o talk show da Neeko”, “vamos preparar o demo concerto do Joe Inoue”. Mas que raio, estamos a estorvar por acaso??! Aquilo era no palco lá em baixo, nós estávamos sentados nas bancadas… não fez qualquer sentido. E o pessoal almoçava e descansava onde conseguia. Escadas, encostados às paredes sentados no chão pelos corredores…Manz produções por favor… queremos espaços para descansar para o ano se faz favor.
Falei ali da Neeko e do Joe que perguntam vocês quem são? (os que não sabem, claro).
A Neeko é designada uma Kawaii idol. Ela canta e faz vozes de personagens em animes e videojogos e é super fofinha. Tem uma voz tão kawaii. Nós por vezes pensamos que eles transformam as vozes para fazer os personagens mais fofos mas não, ela é mesmo muito fofinha e engraçada.

O Joe Inoue. O Joe.I.no.ue… *corações*
O Joe ao que parece era conhecido por cantar a música “Closer”, um dos opening do Naruto. Mas eu não vi Naruto portanto vi só uma foto dele, fui ao Youtube ouvir 5 segundos da música e pronto. Mas foi uma das coisas que fiz questão de assistir foi ao demo concert dele. Foi uma pequena amostra do concerto que iria decorrer no Domingo e apesar de ter durado pouco foi inesquecível. Para além de ter ficar surpreendida por ele falar bem Português  (ainda que com sotaque a roçar o brasileiro) ele é super divertido. Foi rir, rir e mais rir. Toda a gente deve ter ficado rendida ao Joe. Eu fiquei. Como não ficar depois do leve levantar da camisola…com a palmada no rabo… e houve quem gritasse “faz-me um filho” e ele respondeu…”não percebo nada”. Ele é espectacular. No pequeno concerto cantou vários excertos de aberturas de animes como One Piece, Dragon Ball Z, Tokyo Ghoul e One punch man. Ainda cantou em acústico, só acompanhado da guitarra a “Closer” porque o pessoal queria mais uma e ele fez-nos a vontade.

A tarde terminou com a final do Cosplay World Masters onde cosplayers de vários paises fizeram os seus skits (eu acho que se diz skits se houver alguém que saiba, que me confirme).
Eu gosto imenso de Cosplay. Creio que é um dos principais motivos porque gosto tanto de ir ao Iber, mas gostei mais do World Summit Cosplay que vi no ano passado no Porto e das apresentações de grupo. Tirando a participante do Brasil que fez uma apresentação completamente estrondosa,  achei um bocadinho chato.

Mesmo a nível de cosplay “amador”, creio que no ano passado havia mais pessoas a fazer cosplay e melhores embora este ano tb houve alguns bastante interessantes e bonitos, como podem ver nas fotos. (Sério eu queria adoptar umas das fofas japonesas)

Foi um dia excelente, eu adoro o Iberanime, todo o ambiente e este ano foi ainda melhor pois também tive a companhia de uma amiga, a Vera do Crónicas de uma Leitora. Podem passar no blog para verem a opinião dela. (Só estou a falar nela porque as nossas fotos são quase iguais,  e caso vejam num lado e depois vejam igual no outro já sabem porquê, estávamos juntas 😀 )

E pronto pessoal foi um pequeno resumo do Iberanime Lisboa deste ano. Para o pessoal do Norte (e não só) que esteja interessado na edição do Porto esta vai decorrer nos dias 21 e 22 de Outubro e vai voltar para Gondomar. Eu no ano passado fui ao Porto, foi muito bom (excepto não ter levado comida e não haver quase nada por lá), este ano não sei se irei embora vontade não falte. 🙂 Logo se vê.
E vocês podem ver mais fotografias do Iberanime Lisboa na minha outra página do Facebook Crazy Girl Otaku.

Beijinhos e até breve

Verónica :*

Anúncios

Attack on Manga 2017 (desafio)

untitled-1-copy-copy1.jpg

Novo ano, novo desafio e confesso que este ano não me está a apetecer mesmo nada fazer desafios, mas pronto, vamos lá.
Há semelhança do ano passado o Attack on Manga foi criado pela Raquel Leite do blog  Raquelcollin.

Os temas para este ano são:

Janeiro – Tema livre para começar bem o ano :3
Fevereiro – Um Shoujo ❤
Março – Ler um que seja sobre música
Abril – Um mangá que tenha adaptação live-action
Maio – Ler qualquer um mangá recomendado
Junho – Que tenha um grupo de amigos/amigas
Julho – Um que tenha menos de 5 volumes
Agosto – Uma série que esteja concluída
Setembro – Um que seja sobre desporto
Outubro – Ler um mangá que se tenha visto a adaptação
Novembro – Um muito conhecido mas que ainda não se tenha lido.
Dezembro – Algum que se passe no Natal (para variar podem ser one-shots sobre o Natal, 3)

E como desafio extra ler um Manhwa ou algo da Webtoon. ( que eu não faço ideia do que é)

Outros blogs a participar:
Sinfonia dos livros
Area 61 by Filipa

E quem quiser juntar-se a nós, esteja à vontade.

🙂

Akibento – Dezembro(unboxing e review)

Olá 🙂
Estou de volta com mais uma review da Akibento. E agora perguntam vocês “Mas ela não tinha dito que a Akibento era para esquecer?”
15857574_1263519303691491_1681891941_oÉ verdade, eu disse realmente isso na outra review que tinha feito, mas após seguir a página do Facebook cheguei à conclusão que tive um bocado de azar no mês de subscrição e um bocado de azar nas coisas que me saíram. Então após ver outros unboxings e as coisas que lá vinham ponderei dar uma segunda oportunidade à Akibento. E resolvi dar essa oportunidade em Dezembro cujo o tema era Harmony. Como tinha acabado de ver o anime de Sword Art Online e tinha gostado bastante e eles diziam que a caixa teria coisas do anime e da Hatsune Miku…bem ficava um bocado difícil não comprar.
E a caixa chegou hoje, bastante rápida a chegar até (acho que foi a caixa de subscrição que chegou mais rápido) e sem problemas com alfândega.
E o que tinha perguntam vocês? coisas boas ou más? boaaaaaaas \o/
Vou começar com as fotos.

 

 

Ao abrir a caixa deu-me logo um bocadinho de histeria ao ver o desenho da T-shirt. Hatsune Miku e Niko Yazawa lindinhas e adoráveis num ambiente natalício. Kawaii. Adoro. ❤

Segundo brinde é um pocket POP! keychain. Ou por palavras mais simples: um porta chaves da Hatsune Miku. Como não uso porta-chaves já tirei a parte metálica e está ali na junto aos POPs mistery minis.
15878561_1263519330358155_965048385_o.jpg

O terceiro brinde é um tapete para rato. Não sei se a imagem é de algum anime mas de qualquer modo é linda.

Funko POP da Asuna de Swort Art Online. Eu não sou fã dos Funko POP. São cabeçudos, têm os olhos enormes e não têm boca. Embora já tenha pensado comprar os de Fairy Tail, não são mesmo das minhas figuras preferidas mas até fiquei contente por o receber. Ela até que fica bonitinha em cima da estante. E estou seriamente a pensar em desenhar-lhe uma boca, coitadinha.
Este foi o 4º brinde.

O quinto brinde era algo que a Akibento anda a anunciar alegremente, pois pela primeira vez   iriam oferecer algo eletrónico. Super exclusive. A caixa toda bonitinha, notas musicais…Vou abrir e… uns Headphones.

 

Opa eu adorei mesmo receber uns auscultadores novos porque os meus estavam pifados por isso yey, yey, yey vou voltar a ouvir música no PC como deve ser. Além disso são super giros com imagens de algumas personagens de  School Idol.

15878183_1263519127024842_302814227_o15878236_1263519133691508_327185695_o

K.A.W.A.I.I  \o/ (sim, estou um pouco passada mas eles são tão fofinhos).

E por fim e como é  habitual veio um pin com o tema do mês e o cartão com a apresentação das ofertas.

15857826_1263519083691513_134199530_o15857570_1263519060358182_1464443723_o

E pronto tenho as pazes feitas com a Akibento porque esta foi mesmo uma box com coisas espetaculares. Até mesmo da big head girl Asuna cabeçuda.

Outras coisas que queiram saber sobre a Akibento, caso não conheçam, é só passar para baixo porque só há um post pelo meio e tal.

Ja ne!

Verónica

As raparigas esquecidas – Sara Blaedel

1507-1                                    Classificação

                                               3.5

      child-stars-89831child-stars-89831child-stars-89831

 

 

 

Em primeiro lugar quero agradecer à Vera do Sinfonia dos livros por me ter emprestado este livro.

Os Thrillers e Policiais não são o meu género favorito,mas como nos meus géneros favoritos os temas andam batidos, resolvi ler algo diferente.

A história deste livro decorre numa floresta na Dinamarca, onde o corpo de uma mulher é descoberto. A agente da policia Louise Rick, chefe do Departamento de Pessoas Desaparecidas fica encarregue de identificar a mulher cuja metade do rosto se encontra desfigurada. Após dias sem conseguir descobrir a misteriosa mulher, decide divulgar a fotografia afim de conseguir que alguém a reconheça. É deste modo que fica a saber que a mulher encontrada é Lisemette, uma das raparigas esquecidas de Eliselund, uma antiga instituição estatal para doentes mentais e que supostamente teria morrido muitos anos antes.

Ao mesmo tempo da investigação sobre o que aconteceu no passado em Eliselund e do estranho caso, na mesma floresta onde Lisemette foi encontrada vários crimes contra mulheres são cometidos.

Mesmo não sendo leitora assídua deste género literário, eu acho que os policiais/Thrillers nórdicos são “frios”. Há uma certa crueldade verdadeira no modo como os autores de lá escrevem. Nada de aligeirar detalhes, nada de fazer com que as cenas pareçam saídas de hollywood. E se  no passado isso me causava alguma estranheza, neste caso foi realmente o que gostei no livro. Isso e o facto de se centrar mesmo na investigação em vez de se dispersar muito na vida dos personagens. Óbvio que gosto de conhecer as personagens, mas há casos em que a trama central é posta um pouco de parte. Aqui houve sempre um ritmo constante, sem quebras, sem lacunas, sempre seguindo o seu rumo.

A autora conseguiu despertar-me muita curiosidade em saber a história de Lismette e o que aconteceu na instituição. É cruel como as pessoas da instituição eram descartadas e esquecidas pelas próprias famílias por terem uma deficiência. Tudo em torno de Elisemund  é cruel e o modo como o que aconteceu lá e o que acontece na floresta se liga é hediondo, arrepiante.  Gostei dos detalhes da investigação, o modo como cada descoberta servia para adensar o mistério sem o tornar maçador ou confuso ou sem que se conseguisse desvendar logo o final. Certo que chegou a um ponto em que era fácil descobrir quem atacava as mulheres na floresta, mas o modo como a autora interligou os casos, desde o inicio ao fim foi muito muito bem elaborado. Ah e é angustiante. É angustiante pensar que existem mesmo coisas destas a acontecer e pessoas  a viver situações horríveis como esta, crimes a serem encobertos, pessoas desaparecidas que não se sabe se estão vivas e em que condições.

Não chegou a 4* , isso era pedirem-me demais né, mas é um bom livro e gostei de o ler. Se calhar teria dado 4 estrelas se eu soubesse como raio devo ler os nomes Dinamarqueses. Serio…como raio pronuncio Gørlev? Ou Hvalsø? Skjoldenæsholm. Conseguiram ler? Pois eu também não, passei o tempo a inventar. Gorlev, Havenalso, Skojenoln…

Akibento Unboxing

Olá Olá 🙂
Trago-vos hoje mais uma caixa de subscrição, desta vez a Akibento. É uma caixa com artigos relacionados com animes e tal como a Loot Anime (que podem ver/rever aqui) vem dos Estados Unidos. Custa 31,91 dólares que é à volta de 29€ mais coisa menos coisa e como é habitual existem os planos de subscrição: um mês, três e seis meses. Também como é habitual eu escolhi o plano de um mês.

Descobri esta caixa através da Raquel do blog RaquelCollin, estávamos a ver uns unboxings no Youtube e ela mandou-me o link de uma Akibento. Obviamente que fui explorar o site e vi que o tema do mês de Junho era Adventure.13240482_247951718898914_4688292740666169115_n

E na imagem para antever alguns dos animes relacionados tinha o Happy do Fairy tail e já se sabe que eu quero tudo e mais alguma coisa que seja de Fairy Tail. (OK ainda não se sabia mas ficou-se a saber). Portanto lá fui eu comprar a caixa e vamos ver o que trouxe.

20160802_200103

Primeiro item é uma figura do Basil Hawkins do anime One Piece. Eu nunca vi One Piece, nem sequer 5 minutos de um episódio e não conheço o personagem. Quanto à figura até é girinha, boa qualidade, boa pintura, gosto das cores e das 11 que podiam sair creio que fiquei com uma das melhores.

basil_001basil 2_001

Not bad.

 

Veio também uma fita portas chaves do anime Samurai Lanyard e uma tote-bag do Cowboy Bebop. Não conheço nenhum dos animes mas é sempre coisas que dá para usar à vontade sem ter muita pena de por a uso.

3_001

Pin do tema mensal e um autocolante de bonus item que…bem…eu gosto de pins e autocolantes, mas podia antes ter oferecido um lápis ou uma caneta… mas são fofuchos.

4_001

Um peluche do Cowboy bebop… que até achei engraçado até ter visto que me podia ter saído o Natsu ou o Happy e fiquei passada… nem quero pensar nisso… eu comprei a porcaria da caixa por causa de fairy tail… e onde estão coisas de Fairy tail até agora? Em lado nenhum.

5_001

Oooh…afinal está o Happy na T-shirt. (Para quem não sabe o Happy é o gato azul com asas e é um personagem de Fairy tail).20160802_201538
Eu gosto da T-shirt. É um azul claro todo bonitinho, os desenhos são super kawaii, eu só gostava que a T-shirt não tivesse umas manchitas meio amarelas por aqui e por ali e que eu espero mesmo que saiam quando lavar. Porque eu olho para a T-shirt e parece-me que tem uns 10 anos. Ao menos serve-me.

E como todas as outras caixas, mandaram um cartão com as coisas que a caixa contém. 6_001

Quero o meu dinheiro de volta. Foi a pior caixa que já comprei. Eles dizem que o valor da caixa é de 60 dólares…ainda vou investigar valores a ver se vale mesmo ou se fui aldrabada.

Portanto a Akibento é para esquecer. Mas não tomei a decisão só pela minha caixa mas por outros unboxings que vi, realmente não vale a pena. Tinha ficado mais feliz com o peluche do Natsu ou do Happy, tenho de voltar a repetir porque fiquei desiludida. Uma vez que diziam que vinha um artigo de Fairy Tail, colocavam algo em todas as caixas. Mas mesmo que tivesse saído não acho que seja uma caixa que valha a pena.

Outra coisa negativa acerca da Akibento é que apesar de a qualquer momento se poder desistir da subscrição, tem de se mandar um mail para o support a pedir o cancelamento e se se quiser voltar temos de mandar outro email a dizer que queremos continuar.  É mais complicado comparando com a Loot anime ou como era com a My box from Japan. (Deixem-me chorar um bocadinho pela My box from Japan de que eu gostava muito, trazia coisas fixes vindas directamente do Japão mas que acabou. No more My box from Japan 😥 )

E foi isto. Foram quase dois meses à espera visto que comprei a caixa em Junho e ela só chegou hoje dia 02 de Agosto e é o grande problema das caixas de subscrição, não se sabe o que vem lá dentro e arriscamos-nos a não gostar das coisas. Agora eu vou ultrapassar a desilusão e tentar descobrir uma próxima “vitima” para ver se para a próxima vos trago um post com coisas fixolas.

Ja ne!

 

Frase do mês – Julho 2016

A frase do mês de Julho pertence ao livro “Amor em quarto crescente” da Sherrilyn Kenyon, uma autora que gosto muito de ler mas que infelizmente só é lançado um livro por ano.

E no seu regresso, SK conta-nos a história de Fang do clã de lobos Katagaria e de Aimee do clã de ursos Peltier.

Para quem costuma acompanhar a serie sabe que existem os predadores da noite, os predadores do homem e dos sonhos. Honestamente as  histórias dos predadores do homem não são as que mais gosto, mas isto está tão interligado e com tanta personagem que eu já nado muitas vezes à nora. Mas isso não me impediu de apreciar este livro em que, curiosamente e obrigada Sherri, os protagonistas não passam 80% do seu tempo na cama. Aliás a parte do romance proibido foi boa e o casal é engraçado e terno. Não foi um livro extraordinário mas bom de ler e bom para matar saudades de muitos dos personagens que são a chave essencial desta saga.
E é de uma dessas personagens a que pertence a frase que vos trago hoje. Por norma estamos habituados à versão mais engraçada dela e à sua vontade de comer qualquer coisa com molho barbecue. Sim, falo da Simi que todos os fãs de SK  adoram. Eu gostei muito desta frase. Acho-a muito certa e sem dúvida que os laços familiares vão muito para lá do sangue. Há aquelas pessoas que nos tocam no coração e que também os consideramos família. E certo modo tão ou mais especiais, porque somos nós que os escolhemos.

 

frase1

Festa do Japão 2016

000160508Aconteceu no dia 18 de Junho a Festa do Japão em Lisboa. Esta festa é promovida pela embaixada do Japão e inserida nas festas de Lisboa que visa trazer até nós um bocadinho do Japão, das suas tradições e costumes assim como pretende promover o intercâmbio entre os dois países.

Devido ao sucesso das edições anteriores e com o objectivo de aumentar o número de visitantes, a 6ª edição da Festa do Japão mudou de local, tendo acontecido no Parque das Nações mesmo ao lado Meo Arena.

Depois de lá ter estado no ano passado, este ano não poderia faltar. O local estava fantástico com inúmeras carpas de tecido a decorar, o dia estava…abrasador e ainda bem que consegui chegar antes da festa começar porque assim consegui um chapéu de palha que a Fujitsu estava a dar. O meu sincero obrigada à Fujitsu, pois se não fossem os vossos chapéus o meu cérebro tinha-se transformado em canja de galinha.

O inicio da festa começou às 16 horas com a apresentação do grupo Dongara. Vindos directamente do Japão, este grupo composto por quatro elementos toca instrumentos tradicionais japoneses criando ritmos característicos das artes folclóricas do Japão e ritmos modernos. Gostei imenso da apresentação deles, dos ritmos, muito bom.

A actuação foi acompanhada pelo mestre de caligrafia Mohri Suzuki, também vindo do Japão, que ao som dos Dongara desenhou um caractere inspirado nos ritmos.

Após a a música deu-se a apresentação da festa onde falou, entre vários, o Sr. embaixador do Japão, Hiroshi Azuma. E tal como acontece no Japão nas inaugurações das festas,partiu-se o barril do saqué cujo convite para experimentar chamou imensa gente até junto do palco. Free saqué….uhhh…

Na festa do Japão decorrem sempre sempre várias demonstrações. No palco principal decorreu demonstrações de dança tradicional, um mini concerto da banda de rock japonês Hurry Go Round, e como não podia faltar demonstrações de artes marciais…

 

E este ano para demonstrar a cultura Pop houve demonstração de Para Para Dance.

Eu queria mesmo ter feito um video jeitoso do Para Para Dance mas o Sr. Embaixador à minha frente e a Yona aos gritos atrás de mim não ajudaram.

 

Na tenda da embaixada podia ver-se demonstrações de Ikebana arte floral, caligrafia, brinquedos tradicionais entre outros.

Em vários quiosques podiam-se encontrar artigos vindos directamente do Japão, comidas, exposição de bonsais, informações sobre intercâmbios e muitas outras coisas. De referir que a área das comidas estava apinhada e com filas desmotivadoras. Nem consegui aproximar-me do menu para ver se havia algo que me atrevesse a experimentar. Sim, porque em termos de comidas a vossa repórter tretinha fica sempre com o pé atrás. Tirando os noodles, os Pockys e alguns doces sou uma ignorante na gastronomia Japonesa. Aliás eu se fosse ao Japão só sobrevivia de Poooocky \o/

giphy.gif

Foi um dia espectacular, esta festa tem um ambiente muito bom e o facto de ser ao ar livre é óptimo. A variedade de pessoas é fantástica, podemos ver pessoas vestidas com kimonos, cosplay… para não falar de que aquela parte do parque das nações é muito bonita.

Fiquem com algumas fotos que tirei, não são muitas mas espero que gostem. Sobre os meus vídeos peço imensa desculpa mas eu faço parte do Portugal dos pequeninos por isso filmei muita calvice masculina.

20160618_16130720160618_16182420160618_16192920160618_16201720160618_16274220160618_16380220160618_16442020160618_17033820160618_17173620160618_18273320160618_18564820160618_191919

Ja ne

Verónica

Frase do mês – Maio 2016

Por esta altura já toda a gente – incluindo eu – pensou “ela deveria mudar o nome da categoria para Excerto do mês.

Para Maio escolhi esta frase do livro Astrarium de T.S. Learner, um thriller que nos transporta para Alexandria através de uma descoberta fascinante e de uma aventura perigosa. Que nos faz entrar no mundo dos deuses egípcios e em todo o seu misticismo. Mistérios e cultos onde o acreditável e o inacreditável se cruzam, este livro foi uma agradável surpresa.

nile_komombo2

Iberanime [Eventos]

facebook_event_1089344807751939Realizou-se nos passados dias 7 e 8 de Maio no MEO Arena em Lisboa mais um Iberanime, o maior evento nacional dedicado à cultura Japonesa.

No seu sexto ano e com duas edições, uma em Lisboa e outra no Porto, este evento foi idealizado por André Manz (Manz Produtions) que o decidiu criar afim de melhorar a comunicação com os filhos que são fãs de anime, mangá. (Pai fixolas)

O Iberanime é constituído por quatro áreas sendo elas:

J-Pop – Área dedicada aos animes, mangás, Cosplay e outros temas relacionados com a cultura pop.
Cultura tradicional Japonesa – com temas como origami, bonsai, artes marciais, caligrafia…

IA Plus – área dedicada a workshops multimédia e aos YouTubers

Gaming – área dedicada a videojogos.

Com diversas actividades, demonstrações e workshops, o Iberanime é um mundo cheio de coisas a acontecer.

A edição de Lisboa deste ano contou como convidados Edo Haruma, um dos maiores artistas da animação japonesa, Reika – cosplayer japonesa e como convidados musicais os Portugueses Blasted Mechanism e Nordan, vocalista dos Gaijin Sentai uma banda brasileira que se não me engano é responsável pela abertura de alguns animes lá no Brasil.

Foi o primeiro ano que  fui ao Iberanime, até porque a minha envolvência com este mundo é ainda recente.  Confesso que ainda estive indecisa sobre ir ou não e comprei os bilhetes para dia 7/05 mesmo a tempo antes de esgotarem .

E no Sábado lá fui eu. Posso dizer que a sorte de ter saído de casa foi já ter os bilhetes porque chovia imenso. E chego ao Meo Arena e deparo-me com uma fila enoooorme para entrar. Se não tinha  1 quilómetro devia estar lá perto. Foram cerca de 20 minutos à espera debaixo de chuva, estava um gelo mas ainda assim não parecia desanimar ninguém. Estranhamente tive de mostrar o bilhete ao segurança da fila como se – ah eu estou aqui à espera debaixo de chuva porque sou tola e me apetece – e depois voltei a ter de o mostrar à entrada quando os pobres já estavam quase a pingar.

À entrada deram-me um “passaporte oficial” com o mapa do Meo Arena com cada um dos espaços assinalados, um guia do que podíamos encontrar e onde e com a programação dos eventos do dia. Se nunca foram ao Iber e um dia decidam fazer uma visita, olhem atentamente para o livrinho. Não façam como aqui a vossa Iber reporter da treta que mal olhou para ele e com isso perdeu a final do Cosplay World Masters que era o que mais queria ver.

O primeiro piso era dedicado principalmente à cultura tradicional Japonesa. Lá encontrava-se o stand da embaixada do Japão onde se podia aprender a usar a Yukata (algo que eu devia ter ido vestir), onde havia sushi a provar (ainda olhei para ele mas desisti) e onde se podiam ver réplicas em miniatura de templos Japoneses. Para além disto havia stands com Origami, exposição de bonsais, terapia Reiki e um palco cultural onde decorreram várias demonstrações como Shôdo – caligrafia e artes marciais. Assisti a uma demonstração de Kendo, que é basicamente o que eu faço ao meu namorado com os rolos de papel de cozinha vazios, dar-lhe com eles na tola. Só que no Kendo têm umas armaduras e uns bastões.

Confesso que se tivesse olhado para o programa talvez tivesse passado mais tempo no piso superior porque houve demonstrações que gostava mesmo de ter assistido. Para a próxima já sei.

Ainda no piso superior encontravam-se alguns artistas nacionais que tinham  suas artes relacionadas para exposição e venda. Havia ainda um espaço dedicado aos YouTubers que nem para lá fui. Peço desculpa se algum youtuber ler isto, mas é uma coisa que não me interessa minimamente.

Sala Tejo, aquela sala grande onde ocorrem os concerto….Hello beautifull crazy world.

20160507_122054.jpgDividido em dois lados, um onde se encontrava o palco principal onde decorreu a final do cosplay world masters e o concerto do Nordan e no outro… o mundo dos gamers e otakus.

Diversos stands de venda com tudo e mais alguma coisa. Figuras de anime, Mangás, merchandise, peluches, jogos de video e de tabuleiro. Venda de noodles, venda de doces e snacks japoneses, muita muita coisa. Um mundo de POP´s e de coisas que fazem ter vontade de estoirar com qualquer carteira.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Chegar perto destes stands de venda era extremamente complicado. Dei voltas e voltas no espaço e houve muita coisa que não consegui ver na totalidade, tal era a afluência de pessoas e a procura. Dos Pocky nem consegui chegar perto para sentir o cheiro. Consegui comprar umas bolachas que gosto muito e foi porque me pus a um cantinho com elas e a nota na mão e braço estendido.

E passar junto do stand de venda  dos noodles foi um horror, não se conseguia avançar. Viva à comida.

E se o lado mais “otaku” estava à pinha o mesmo se passava do lado “Gamer” onde estavam presentes a Playstation e Nintendo (nem tentei chegar perto da Wii U para jogar qualquer coisa de menina que houvesse) e onde estava a decorrer a final do IA! LOL Cup. LOL de League of legends, jogo online. Não um jogo de gargalhadas altas (brincadeira) >.<

 

Surpreendeu-me que estivesse tanta gente, o que me fez questionar do porquê de não haver mais oferta a nivel de animes e mangás em Portugal, porque pelo que vi há imensa gente a gostar e possivelmente haveria procura suficiente. Nós só temos a Devir a publicar mangás em Português e ainda com pouca oferta ou com uma oferta mais cautelosa e cuidada e a nivel de animes na TV só em alguns canais por cabo. O Meo Arena tornou-se demasiado pequeno para o evento.
E se por um lado me surpreendeu a grande afluência também fiquei muito feliz por estar tanta gente neste tipo de evento dedicado a uma cultura tão distante de nós e cujos interesses são comuns com os meus.
Foi uma experiência muito boa. Gostei muito do Para Para dance que para quem não sabe é uma dança sincronizada que se originou no Japão nos meados dos anos 80. As músicas para dançar são por norma com bastante ritmo e consiste mais no movimento dos braços. O corpo mexe pouco embora hajam alguns passos mais detalhados. Foi extremamente divertido de assistir.

Outra coisa fantástica, absolutamente gira é o Cosplay. Imensos Cosplayers, alguns muito bem caracterizados, outros nem por isso mas de alguma forma todos interessantes. Eu não fiz Cosplay como é óbvio, mas levei o meu casaco do Attack on Titan. Não o comprei de propósito para o levar a um evento mas não o podia deixar de o ter levado – que lugar melhor para o usar? – e era giro ver o pessoal que tinha o casaco igual ao meu. Era tipo “olha um colega”, embora eu me sentisse a senpai do pessoal, todos tinham ar de novinhos. Sentia-me assim a chefe veterana do exercito. LOL (este lol é mesmo de rir não o jogo).

Agradeço aos cosplayers que me deixaram tirar-lhes fotos. Não tirei tantas quanto gostaria porque sempre dá um bocadinho de vergonha andar a pedir. Queria muito tirar foto ao Cosplayer com o fato de Titã do Attack on titan mas com tanto inimigo ele andava sempre fugido.

31

Cosplay de Lucy Heartfilia – Fairy Tail

21

Cosplay de Gildarts Clive – Fairy Tail

11

Cosplay de Annie Leonhart – Attack on titan

E outra coisa a ver com o Cosplay  que é super divertido, é reconheceres os personagens ou os teus personagens preferidos. Do tipo “ooh olha a Yona e o Hak”.

O concerto do Nordan também foi bom. Não o assisti todo e  surpreendeu-me que ele fosse brasileiro mas ele foi super simpático com o público e cheio de boas vibrações.

O Iberanime é um evento cheio de diversão e alegria. É um lugar mágico para quem gosta de J-Pop e jogos e um óptimo lugar para aprendizagem dos costumes orientais. Sai de lá feliz. Cansada como o raio, mas feliz.
Tenho pena de ter perdido algumas coisas a nível cultural, mas espero ter a oportunidade de voltar ao Iberanime e compensar o que me faltou desta vez. Quem sabe se não no Iberanime Porto que se realiza em Outubro.

Acho que pelo sim pelo não vou comprar um casaco Otaku que me proteja melhor da chuva…just in case. 😉

Ja ne!
Verónica 🙂

20160507_162825

Are you looking at me?

20160507_162835

now you fell my power

 

 

Anime: Attack On Titan (Review)

Attack on Titan ou Shingeki no Kyojin, é o anime baseado no mangá escrito e ilustrado por Hajime Isayama. Com um total de 25 episódios, foi adaptado em 2013 para Anime pela Wit Studio (subsidiária da Production IG) responsável pela adaptação outros animes como Kimi Ni Todoke, Psyco-Pass, Ao Haru Ride e produzido pela Manichi Broadcasting e pela Pony Canyon, também responsáveis por animes de grande nome como Fullmetall Alchemist e Fairy Tail.

bfc2fb7d-9998-4a35-aa66-a96cc60cdba4

História:
Há centenas de anos que quase toda a humanidade foi dizimada por Titãs, monstruosas criaturas de aspecto humano e no entanto com características diferentes,que aterradoramente parecem gostar de carne humana não por fome mas apenas por puro prazer.

Para a possibilidade de sobreviver a humanidade viu-se forçada a viver dentro de barreiras defensivas que permitiram que vivessem em relativa paz durante 100 anos.

Walls

Paz essa que termina no dia em que aparecem dois espécimenes diferentes de todos os outros até então conhecidos pela humanidade. O Titã colossal cuja altura ultrapassa os 50 metros da muralha Maria e o titã Couraçado que com a sua rapidez e força destrói a barreira, permitido a entrada dos outros Titãs e resultando assim num novo ataque.

Colossal-Titan-Amored-Titan-Annie-Leonhardt-Attack-on-Titan-Shingeki-no-Kyojin-d50cd

Após ver a sua mãe ser devorada por um titã, o jovem Eren Yeager declara como seu principal objetivo de vida derrotar todos os titãs existentes. Juntamente com os amigos de infância Mikasa e Armin, Eren junta-se à tropa de elite – os militares melhores dos melhores – que combatem os Titãs fora da área protectora e  que procuram descobrir mais sobre esta espécie na esperança de os conseguir derrotar antes da quebra da última muralha.

Opinião

Quando via imagens do Attack on titan pela Internet pensava que não era o género de anime do qual eu fosse gostar. Os Titãs eram feios, comiam pessoas, devia haver sangue por todo o lado… pensava eu que era algo que dispensava ver. Até que uma noite por puro aborrecimento decidi ver um episódio. Após os 24 minutos do episódio estava rendida.

A história, na minha opinião, é bastante original. O facto de a humanidade estar confinada a um pequeno território em todo o planeta, delimitado por altas muralhas com medo de uma coisa que muitos deles nunca viram. Porque muitos dos humanos ali nunca viram um Titã, vivem em paz porque durante 100 anos não houve ataques e há até quem crê que estes não existam. Mas a paz tem um fim e quando acontece é aterrador.

É um bocado nojento o facto dos titãs comerem humanos. Talvez seja muito nojento mesmo. São realmente horrorosos e é muito forte estar a vê-los meter um humano à boca e a desmembrá-los enquanto sorriem. Mas por outro lado há a guerra contra os titãs, há o Eren Yeager que é um personagem muito convicto que odeia estes monstros sem saber que pode ser um deles ou pelo menos ser a chave que a humanidade precisa para ganhar.

É que o Eren transforma-se em Titã e quando o Eren se transforma em titã…é uma coisa completamente espectacular. Mesmo brutal. E todo o leque de personagens é diferente e todos interessantes. A Mikasa, amiga de infância e irmã adoptiva do Eren é reservada, no entanto é um prodígio da tropa de elite com grandes capacidades de luta. Armin que não é muito forte em combate é extremamente inteligente em tácticas. Levi, capitão da tropa de Elite é o soldado mais poderoso, parece um pouco inacessível e contundente. Aparentemente hostil mas confia absolutamente na sua equipa e estranhamente tem a mania das limpezas. E existem inúmeras personagens interessantes. A Sasha que é uma comilona mas tem óptima intuição, Annie é indiferente mas óptima em luta corpo a corpo, Hanji a investigadora meio lunática que se entusiasma demais perante os titãs de um modo que pões em causa a sua própria segurança.

bf134ff8a3c404796330a1dcd910cf9beb30bc93f85d958bf1353707fa802880_1

Pensava eu que não iria gostar…é um dos melhores animes que até agora tive a oportunidade de assistir. Espectacular. A partir do momento, ou melhor, do episódio em que a tropa de elite sai das muralhas e começa a lutar contra os titãs é impossível respirar. Eu ficava encostada ao meu namorado, mãos fechadas junto à boca de olhos arregalados a pensar “oh meus deus e agora que vão eles fazer?”. Super entusiasmada.

Outra coisa que é absurdamente excelente neste anime é a banda sonora. Cada trecho de música, naquela determinada cena naquele determinado segundo cria logo um misto de emoções ainda maior. Consegue causar um impacto mais directo, se me faço entender. Se não me fizer basta verem o episódio 24 ou 25 quando o Eren luta com a Titan fêmea. Ou vejam aqui  o vídeo. Atenção tem muitos roaaah rohaaa rooaaaah. Atenção que pode haver algum sangue e desmembramentos…

A banda sonora foi da responsabilidade de Hiroyuki Sawano, compositor japonês que também compôs músicas para outros animes como Blue Exorcist ou Seraph of the End. É muito à base do instrumental embora tenha grandes vocais, ele próprio interpreta uma música da banda sonora e depois há a Mika Koyabashi que interpreta duas músicas fantásticas e curiosamente em alemão.

Resumindo o anime: Forte…sim, violento…certamente, mas uma grande história. Óbvio que se forem muito susceptíveis a sangue e desmembramentos é melhor não verem, mas naqueles casos em que mete só um bocadinho de impressão…vejam…experimentem porque é bom.

Relativamente à comparação mangá para anime é exactamente igual. Um óptimo trabalho de adaptação. O último episódio corresponde ao capitulo 34 (confirmar) do mangá.Ao que consta teremos ainda este ano a segunda temporada.

 

Ja ne!!!!*
Verónica

*Ja ne é o modo informal de dizer adeus aos amigos. Se queremos ser mais formais dizemos dewa mata mas vou considerar-vos a todos como amigos 😉

Previous Older Entries