Festa do Japão 2016

000160508Aconteceu no dia 18 de Junho a Festa do Japão em Lisboa. Esta festa é promovida pela embaixada do Japão e inserida nas festas de Lisboa que visa trazer até nós um bocadinho do Japão, das suas tradições e costumes assim como pretende promover o intercâmbio entre os dois países.

Devido ao sucesso das edições anteriores e com o objectivo de aumentar o número de visitantes, a 6ª edição da Festa do Japão mudou de local, tendo acontecido no Parque das Nações mesmo ao lado Meo Arena.

Depois de lá ter estado no ano passado, este ano não poderia faltar. O local estava fantástico com inúmeras carpas de tecido a decorar, o dia estava…abrasador e ainda bem que consegui chegar antes da festa começar porque assim consegui um chapéu de palha que a Fujitsu estava a dar. O meu sincero obrigada à Fujitsu, pois se não fossem os vossos chapéus o meu cérebro tinha-se transformado em canja de galinha.

O inicio da festa começou às 16 horas com a apresentação do grupo Dongara. Vindos directamente do Japão, este grupo composto por quatro elementos toca instrumentos tradicionais japoneses criando ritmos característicos das artes folclóricas do Japão e ritmos modernos. Gostei imenso da apresentação deles, dos ritmos, muito bom.

A actuação foi acompanhada pelo mestre de caligrafia Mohri Suzuki, também vindo do Japão, que ao som dos Dongara desenhou um caractere inspirado nos ritmos.

Após a a música deu-se a apresentação da festa onde falou, entre vários, o Sr. embaixador do Japão, Hiroshi Azuma. E tal como acontece no Japão nas inaugurações das festas,partiu-se o barril do saqué cujo convite para experimentar chamou imensa gente até junto do palco. Free saqué….uhhh…

Na festa do Japão decorrem sempre sempre várias demonstrações. No palco principal decorreu demonstrações de dança tradicional, um mini concerto da banda de rock japonês Hurry Go Round, e como não podia faltar demonstrações de artes marciais…

 

E este ano para demonstrar a cultura Pop houve demonstração de Para Para Dance.

Eu queria mesmo ter feito um video jeitoso do Para Para Dance mas o Sr. Embaixador à minha frente e a Yona aos gritos atrás de mim não ajudaram.

 

Na tenda da embaixada podia ver-se demonstrações de Ikebana arte floral, caligrafia, brinquedos tradicionais entre outros.

Em vários quiosques podiam-se encontrar artigos vindos directamente do Japão, comidas, exposição de bonsais, informações sobre intercâmbios e muitas outras coisas. De referir que a área das comidas estava apinhada e com filas desmotivadoras. Nem consegui aproximar-me do menu para ver se havia algo que me atrevesse a experimentar. Sim, porque em termos de comidas a vossa repórter tretinha fica sempre com o pé atrás. Tirando os noodles, os Pockys e alguns doces sou uma ignorante na gastronomia Japonesa. Aliás eu se fosse ao Japão só sobrevivia de Poooocky \o/

giphy.gif

Foi um dia espectacular, esta festa tem um ambiente muito bom e o facto de ser ao ar livre é óptimo. A variedade de pessoas é fantástica, podemos ver pessoas vestidas com kimonos, cosplay… para não falar de que aquela parte do parque das nações é muito bonita.

Fiquem com algumas fotos que tirei, não são muitas mas espero que gostem. Sobre os meus vídeos peço imensa desculpa mas eu faço parte do Portugal dos pequeninos por isso filmei muita calvice masculina.

20160618_16130720160618_16182420160618_16192920160618_16201720160618_16274220160618_16380220160618_16442020160618_17033820160618_17173620160618_18273320160618_18564820160618_191919

Ja ne

Verónica

Iberanime [Eventos]

facebook_event_1089344807751939Realizou-se nos passados dias 7 e 8 de Maio no MEO Arena em Lisboa mais um Iberanime, o maior evento nacional dedicado à cultura Japonesa.

No seu sexto ano e com duas edições, uma em Lisboa e outra no Porto, este evento foi idealizado por André Manz (Manz Produtions) que o decidiu criar afim de melhorar a comunicação com os filhos que são fãs de anime, mangá. (Pai fixolas)

O Iberanime é constituído por quatro áreas sendo elas:

J-Pop – Área dedicada aos animes, mangás, Cosplay e outros temas relacionados com a cultura pop.
Cultura tradicional Japonesa – com temas como origami, bonsai, artes marciais, caligrafia…

IA Plus – área dedicada a workshops multimédia e aos YouTubers

Gaming – área dedicada a videojogos.

Com diversas actividades, demonstrações e workshops, o Iberanime é um mundo cheio de coisas a acontecer.

A edição de Lisboa deste ano contou como convidados Edo Haruma, um dos maiores artistas da animação japonesa, Reika – cosplayer japonesa e como convidados musicais os Portugueses Blasted Mechanism e Nordan, vocalista dos Gaijin Sentai uma banda brasileira que se não me engano é responsável pela abertura de alguns animes lá no Brasil.

Foi o primeiro ano que  fui ao Iberanime, até porque a minha envolvência com este mundo é ainda recente.  Confesso que ainda estive indecisa sobre ir ou não e comprei os bilhetes para dia 7/05 mesmo a tempo antes de esgotarem .

E no Sábado lá fui eu. Posso dizer que a sorte de ter saído de casa foi já ter os bilhetes porque chovia imenso. E chego ao Meo Arena e deparo-me com uma fila enoooorme para entrar. Se não tinha  1 quilómetro devia estar lá perto. Foram cerca de 20 minutos à espera debaixo de chuva, estava um gelo mas ainda assim não parecia desanimar ninguém. Estranhamente tive de mostrar o bilhete ao segurança da fila como se – ah eu estou aqui à espera debaixo de chuva porque sou tola e me apetece – e depois voltei a ter de o mostrar à entrada quando os pobres já estavam quase a pingar.

À entrada deram-me um “passaporte oficial” com o mapa do Meo Arena com cada um dos espaços assinalados, um guia do que podíamos encontrar e onde e com a programação dos eventos do dia. Se nunca foram ao Iber e um dia decidam fazer uma visita, olhem atentamente para o livrinho. Não façam como aqui a vossa Iber reporter da treta que mal olhou para ele e com isso perdeu a final do Cosplay World Masters que era o que mais queria ver.

O primeiro piso era dedicado principalmente à cultura tradicional Japonesa. Lá encontrava-se o stand da embaixada do Japão onde se podia aprender a usar a Yukata (algo que eu devia ter ido vestir), onde havia sushi a provar (ainda olhei para ele mas desisti) e onde se podiam ver réplicas em miniatura de templos Japoneses. Para além disto havia stands com Origami, exposição de bonsais, terapia Reiki e um palco cultural onde decorreram várias demonstrações como Shôdo – caligrafia e artes marciais. Assisti a uma demonstração de Kendo, que é basicamente o que eu faço ao meu namorado com os rolos de papel de cozinha vazios, dar-lhe com eles na tola. Só que no Kendo têm umas armaduras e uns bastões.

Confesso que se tivesse olhado para o programa talvez tivesse passado mais tempo no piso superior porque houve demonstrações que gostava mesmo de ter assistido. Para a próxima já sei.

Ainda no piso superior encontravam-se alguns artistas nacionais que tinham  suas artes relacionadas para exposição e venda. Havia ainda um espaço dedicado aos YouTubers que nem para lá fui. Peço desculpa se algum youtuber ler isto, mas é uma coisa que não me interessa minimamente.

Sala Tejo, aquela sala grande onde ocorrem os concerto….Hello beautifull crazy world.

20160507_122054.jpgDividido em dois lados, um onde se encontrava o palco principal onde decorreu a final do cosplay world masters e o concerto do Nordan e no outro… o mundo dos gamers e otakus.

Diversos stands de venda com tudo e mais alguma coisa. Figuras de anime, Mangás, merchandise, peluches, jogos de video e de tabuleiro. Venda de noodles, venda de doces e snacks japoneses, muita muita coisa. Um mundo de POP´s e de coisas que fazem ter vontade de estoirar com qualquer carteira.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Chegar perto destes stands de venda era extremamente complicado. Dei voltas e voltas no espaço e houve muita coisa que não consegui ver na totalidade, tal era a afluência de pessoas e a procura. Dos Pocky nem consegui chegar perto para sentir o cheiro. Consegui comprar umas bolachas que gosto muito e foi porque me pus a um cantinho com elas e a nota na mão e braço estendido.

E passar junto do stand de venda  dos noodles foi um horror, não se conseguia avançar. Viva à comida.

E se o lado mais “otaku” estava à pinha o mesmo se passava do lado “Gamer” onde estavam presentes a Playstation e Nintendo (nem tentei chegar perto da Wii U para jogar qualquer coisa de menina que houvesse) e onde estava a decorrer a final do IA! LOL Cup. LOL de League of legends, jogo online. Não um jogo de gargalhadas altas (brincadeira) >.<

 

Surpreendeu-me que estivesse tanta gente, o que me fez questionar do porquê de não haver mais oferta a nivel de animes e mangás em Portugal, porque pelo que vi há imensa gente a gostar e possivelmente haveria procura suficiente. Nós só temos a Devir a publicar mangás em Português e ainda com pouca oferta ou com uma oferta mais cautelosa e cuidada e a nivel de animes na TV só em alguns canais por cabo. O Meo Arena tornou-se demasiado pequeno para o evento.
E se por um lado me surpreendeu a grande afluência também fiquei muito feliz por estar tanta gente neste tipo de evento dedicado a uma cultura tão distante de nós e cujos interesses são comuns com os meus.
Foi uma experiência muito boa. Gostei muito do Para Para dance que para quem não sabe é uma dança sincronizada que se originou no Japão nos meados dos anos 80. As músicas para dançar são por norma com bastante ritmo e consiste mais no movimento dos braços. O corpo mexe pouco embora hajam alguns passos mais detalhados. Foi extremamente divertido de assistir.

Outra coisa fantástica, absolutamente gira é o Cosplay. Imensos Cosplayers, alguns muito bem caracterizados, outros nem por isso mas de alguma forma todos interessantes. Eu não fiz Cosplay como é óbvio, mas levei o meu casaco do Attack on Titan. Não o comprei de propósito para o levar a um evento mas não o podia deixar de o ter levado – que lugar melhor para o usar? – e era giro ver o pessoal que tinha o casaco igual ao meu. Era tipo “olha um colega”, embora eu me sentisse a senpai do pessoal, todos tinham ar de novinhos. Sentia-me assim a chefe veterana do exercito. LOL (este lol é mesmo de rir não o jogo).

Agradeço aos cosplayers que me deixaram tirar-lhes fotos. Não tirei tantas quanto gostaria porque sempre dá um bocadinho de vergonha andar a pedir. Queria muito tirar foto ao Cosplayer com o fato de Titã do Attack on titan mas com tanto inimigo ele andava sempre fugido.

31

Cosplay de Lucy Heartfilia – Fairy Tail

21

Cosplay de Gildarts Clive – Fairy Tail

11

Cosplay de Annie Leonhart – Attack on titan

E outra coisa a ver com o Cosplay  que é super divertido, é reconheceres os personagens ou os teus personagens preferidos. Do tipo “ooh olha a Yona e o Hak”.

O concerto do Nordan também foi bom. Não o assisti todo e  surpreendeu-me que ele fosse brasileiro mas ele foi super simpático com o público e cheio de boas vibrações.

O Iberanime é um evento cheio de diversão e alegria. É um lugar mágico para quem gosta de J-Pop e jogos e um óptimo lugar para aprendizagem dos costumes orientais. Sai de lá feliz. Cansada como o raio, mas feliz.
Tenho pena de ter perdido algumas coisas a nível cultural, mas espero ter a oportunidade de voltar ao Iberanime e compensar o que me faltou desta vez. Quem sabe se não no Iberanime Porto que se realiza em Outubro.

Acho que pelo sim pelo não vou comprar um casaco Otaku que me proteja melhor da chuva…just in case. 😉

Ja ne!
Verónica 🙂

20160507_162825

Are you looking at me?

20160507_162835

now you fell my power